domingo, 4 de julho de 2010

Dia de cão

Hoje acompanhamos um dos mais bizarros eventos desta cidade, a Cãominhada.
As duas pistas da avenida da praia interditadas desde a rua Oswaldo Cruz até o canal 6 para que as madames e seus cachorrinhos (ou seria o contrário?) desfilassem pela orla.

Além da farta distribuição de fezes caninas, viu-se uma sequência de cenas grotescas (para não dizer coisa pior), dentre elas a disputa das madames de quem vinha mais empetecada, ou qual cão tinha mais penduricalhos. Todos os humanos muito alegres e sorridentes, mas percebemos que os astros do evento aparentemente não estavam curtindo muito aquela situação.

Nada contra os cães, pelo contrário gostamos muito deles, o que não podemos aceitar é a inversão de valores, onde o animal se torna mais importante do que o homem. Como num passe de mágica, moradores de rua e pedintes desapareceram da orla, teriam eles dado passagem à sua majestade o cão? Ou a faixa de isolamento funciona melhor para uns do que para outros?

Se não bastasse tudo isso, numa logística genial, o evento coincidiu com o vestibular da FATEC. Conclusão: dezenas de vestibulandos com dificuldades para chegar ao local da prova, sendo pegos de surpresa com a interdição da avenida da praia.

A pergunta que fica no ar é: qual é o sentido de prioridade desta prefeitura? Responda quem puder...

Nenhum comentário:

Postar um comentário